Busque o que procura!

Síndrome do Coração Partido

0012

A síndrome do coração partido, também conhecida como, cardiomiopatia de takotsubo ou “broken heart disease”, foi descrita pela primeira vez em 1990. Caracteriza-se por uma alteração súbita e transitória do músculo cardíaco, comprometendo o funcionamento do coração, principalmente do ápice e da parte central do ventrículo esquerdo.

Takotsubo é o nome de um jarro utilizado no Japão como armadilha para capturar polvos. Essa forma de miocardiopatia recebeu o nome de takotsubo pois o coração dos pacientes apresenta um aspecto semelhante ao do jarro japonês, porém hoje há uma tendência atual de ser denominada cardiopatia do estresse.

Causas e tratamento
Apesar da causa exata ser desconhecida, a exagerada liberação de adrenalina tem sido considerada como um fator central desencadeando essa síndrome. Pode ser precipitada tanto por forte estresse emocional (negativo ou positivo) como também estresse físico, por exemplo, notícia de falecimento de um ente querido, divórcio, acidente de carro, ganhar na loteria, acidente vascular cerebral, grave crise asmática.

A síndrome surge com muito mais frequência em mulheres e em pessoas idosas. Cerca de 90% dos casos ocorrem no sexo feminino e a média de idade é entre 35 e 60 anos. Os sintomas mais comuns são a dor no peito e a falta de ar; entretanto, apesar de transitória, pode ser grave a ponto de levar o paciente a óbito. Sua duração pode variar de sete até mais de 30 dias.

Essa síndrome apresenta, como peculiaridade, o fato de seu desencadeamento estar ligado a alguns fatores bastante variáveis, sendo um deles o estresse, já citado anteriormente. Todas as situações de estresse apresentam elevação de substâncias chamadas catecolaminas, que também podem ser causa de alteração cardíaca aguda. Essas catecolaminas podem gerar uma constrição transitória das artérias que irrigam o coração, provocando uma isquemia do músculo cardíaco e um quadro clínico semelhante ao infarto agudo do miocárdio, com dor no peito, alteração eletrocardiográfica e marcador cardíaco positivo, porém, quando esses pacientes são submetidos ao cateterismo cardíaco, não são vistas placas obstruindo o fluxo nas artérias, alteração típica da doença aterosclerótica.

Vale ressaltar que, apesar de comum, nem toda síndrome do coração partido está relacionada a algum evento estressante. Em cerca de um terço dos pacientes não é possível identificar o fator desencadeante. Pacientes com histórico de doenças psiquiátricas ou neurológicas parecem ter um maior risco de desenvolverem essa doença, porém, a maior parte dos pacientes que apresentam a síndrome do coração partido não possuíam nenhuma doença prévia.

Não há tratamento específico para essa miocardiopatia, apenas medidas de suporte hemodinâmico voltado para os sintomas, até que o músculo cardíaco se recupere. Os medicamentos usados são similares aos utilizados na insuficiência cardíaca de forma geral. O paciente deve procurar assistência médica imediata pela gravidade da doença e necessidade de tratamento de emergência.

A maioria dos pacientes tem uma recuperação completa da função do coração após algumas semanas. Felizmente, não é comum a recorrência da síndrome após um novo evento estressante. Na maioria das vezes a síndrome de takotsubo é uma situação isolada na vida do paciente.

Compartilhe

Curta

Parceria

medico consulta com br